sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Os formatos e as metodologias do futuro -"NO MUNDO DOS JETSONS" ?


16.dezembro.2012 15:43:02

Os formatos e as metodologias do futuro



Como serão as aulas do futuro? Semipresenciais? Síncronas? Online? Socráticas? Com o uso de simuladores? Haverá um pouco de tudo. Mas o mais importante é que o formato do conteúdo e a sua metodologia pedagógica serão adaptados às preferências de aprendizado de cada aluno.
Algumas escolas mais modernas já começam a estabelecer grupos de discussão para debater sobre como deverá ocorrer a troca de conhecimento entre professores e alunos com a adoção das novas tecnologias educativas que invadirão nossos lares e escolas nos próximos anos. Que conteúdo será lecionado em que formato? Para quais tipos de matéria vale a pena usar um tablet? Quais matérias serão mais bem compreendidas se aprendidas através de um videogame? Isso tudo estará na mesa do educador consciente.
Pesquisas demonstram que, até o ano de 1990, os adultos norte-americanos conseguiam concentrar-se por até 18 minutos em uma pessoa falando ininterruptamente. Entre 1990 e o ano 2000, este tempo caiu para aproximadamente 12 minutos e atualmente esta tolerância encontra-se em apenas 8 minutos.
Na média, a partir deste oitavo minuto, a audiência começa a verificar seus celulares e computadores (inclusive para procurar mais informações sobre o que está sendo exposto). Desconheço quais serão os tempos de tolerância de crianças e adolescentes.
Essa questão sempre foi um problema, pois as aulas sempre tiveram mais de 18 minutos. Issac Newton, por exemplo, há muitos séculos atrás, já era conhecido por de vez em quanto começar uma aula com 20 alunos e terminar a mesma com a sala vazia.
Lembro-me muito bem de uma aula de Direito Societário, na faculdade, há muitos anos, onde numa determinada noite, 100% dos alunos dormiu enquanto o professor lecionava. Segundo uma testemunha que passava (eu estava dormindo), ele ficou sem graça, mas continuou sua palestra (talvez se inspirando em figuras como Isaac Newton).
A questão é que com o futuro fim da obrigatoriedade da presença física para a realização da troca de conhecimento, muitos canais de aprendizado (antigos e novos) se abrem para esta finalidade. Tenho testado alguns em minhas aulas de pós-graduação:
Aulas síncronas presenciais com a presença de convidados síncronos online; debates assíncronos online com foros baseados em texto, vídeos e áudios; simuladores que misturam decisões coletivas síncronas presenciais (ou online) com vídeos gravados a priori (assíncronos). Muitas combinações de ferramentas pedagógicas passam a ser possíveis.

  http://blogs.estadao.com.br/a-educacao-no-seculo-21/


domingo, 23 de dezembro de 2012

NATAL É NATAL - LUIZA PINTO MOURA





Natal não é somente presentes,
Não é somente uma cara bonita,
Uma roupa nova ou velha

Natal é o irmão menos favorecido
Que bate a sua porta
Pedindo um pedaço de pão


Natal não é somente uma árvore
 Enfeitada com bolas coloridas, com luzes piscando
Ou uma alma vazia, vestida de Papai Noel

Natal é o nascimento do Cristo Jesus
Que a milhares de anos nasceu numa manjedoura
E hoje pede abrigo em nossos corações

Natal é a união da humanidade
Em grande sintonia fazendo uma oração
Ao Deus Pai para que sejamos somente Cristãos
.
(Luiza Pinto Moura, dezembro, 2012)


Feliz natal e um ano novo cheio de bençãos e realizações!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

PASSEIO SOCRÁTICO - FREI BETO



Recebi por E-mail difícil não querer divulgar...
Reflexão e atitude!

 Ao viajar pelo Oriente mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos e em paz nos seus mantos cor de açafrão.

Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir: 
Qual dos dois modelos produz felicidade?

Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei:
-Não foi à aula? Ela respondeu: 
-Não, tenho aula à tarde. Comemorei:
-Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde.
-Não, retrucou ela, tenho tanta coisa de manhã....
-Que tanta coisa?, perguntei.
-Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina, e começou a elencar seu programa de garota robotizada.
Fiquei pensando:
-Que pena, a Daniela não disse: -Tenho aula de meditação!

Estamos construindo super-homens e super-mulheres, 
totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados. 

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis
livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de
ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas
me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: 
Como estava o defunto?.
Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite! Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual. Somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. E somos também eticamente virtuais...

A palavra hoje é entretenimento. Domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela. Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres:
Se tomar este refrigerante, calçar este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá! O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba, precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental, três requisitos são
indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as cidades adquiriam “status” construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center. É curioso: a maioria dos shoppings centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. 

Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do Mc Donald...

Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas:
Estou apenas fazendo um passeio socrático. Diante de seus olhares espantados, explico:
Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia:
"Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz!" frei Beto

sábado, 10 de novembro de 2012

SOCIEDADE ESPÍRITA DE BELO JARDIM CONVIDA PARA 4º FEIRA DO LIVRO ESPÍRITA



Sábado (10)

20:00 h – Ivanar Nunes (Sax-tenor/ Tacaimbó)

21:00 h – Cláudio Zebarsy (Voz e Guitarra / Belo Jardim)
 
Domingo (11)

20:00 h – Riana Oliveira (Voz / Caruaru) e Mirael Lima ( Violão de 7 Cordas/Caruaru)
21:40 h – Maestro Mozart Vieira (Belo Jardim)

domingo, 4 de novembro de 2012

PARAFRASEANDO A ALEGORIA DA CAVERNA - LUIZA PINTO MOURA




NO REINO DAS RÃS 

Havia numa grande floresta uma gruta encantada, onde estava estalado o Reino das Rãs, que se achavam únicas e poderosas. Elas trabalhavam sempre das sete da manhã às seis da noite, não reclamavam daquela vidinha
.
A luz solar chegava por uma fresta, mas que pouco elas tomava por verdade, pois tinham seu laguinho, suas plantações e seus insetos em todos os momentos. Mas inesperadamente apareceu-lhes um caso inusitado que as deixou apavoradas. O Reino ficara em perigo, não se sabe de onde lhes apareceu  um azulado e majestoso Pássaro Azul.

 O que era aquilo? De onde veio? Chamou-se Conselho das Rãs, para uma audiência extraordinária. E acabaram aprisionando o intruso. O Pássaro Azul contou-lhes das maravilhas existentes fora dali, falara das árvores, das grandes florestas, dos grandes rios, cachoeiras outros animais, das leis trabalhista, da Lei Maria da Penha... Até da Internet, e que existia homens e que eles tinham ido à lua, e muitas coisas da atualidade. Foi um espanto geral
.
-Isso é um perigo! -Diziam o Conselheiro-Mor – Vamos apagar logo com ele, antes que nossos súditos se rebelem contra o Reino das Rãs, vamos sacrificá-lo. E assim foi feito.

Empalharam o Pássaro Azul, e colocaram ele no Museu, para que todos pudessem ver aquilo como exemplo para  aqueles que um dia resolvessem desafiar aquele Reino.

E certo dia, a professora, Ranzita da Silva, levou sua turma para uma aula no Museu das Rãs. E aquele aluno que tudo quer saber, questionou a professora que parente era aquele que era tão diferente e por que ele estava ali. Dona Ranzita, apenas o contemplou e respondeu: Era um sábio que tinha planos para o nosso Reino, mas o exterminaram e o colocaram aqui embalsamado para que todo aquele que tenha o mesmo sonho não queira concretizá-lo. Isto é, não existe outro Reino, além do Reino das Rãs. E você, Rãzinha, vá para o final da fila. Nada mais se questiona.

MORAL: Em terra de rã, pássaro não canta.
(Luiza Pinto Moura, Outubro de 2012) 

terça-feira, 30 de outubro de 2012

É HALLOWEEN? NÃO.NO BRASIL É SACI PERERÊ - 31 DE OUTUBRO DIA DO SACI-PERERÊ


PRODUÇÃO TEXTUAL
1.0 Após leitura do Texto: BRUXA E SACI SOLTOS, publicado no Suplemento do Diario de Pernambuco, Diarinho, os alunos construíram os seguintes textos coletivos:

TEXTO I

O Saci se tornou popular no Brasil por causa da obra de Monteiro Lobato e também aparece nos quadrinhos de Chico Bento, personagem de Mauricio de Souza. Seu passatempo predileto é brincar com gente e até com animais. Em algumas cidades do interior, muitos atribuim algumas peripécias ao Saci. Segundo a lenda ele tem uma fama de assustar viajantes, esconder objetos e imitar sons para assustar os bois e cavalos no pasto. 
 Rafaele,
 João Victor,
 Deivid,
 Luzia.
 6ºB
 TEXTO II
O Saci tem a pele negra, tem um gorro na cabeça vermelho, um cachimbo na boca e se equilibra em um pé só, coloca sal na comida das mulheres. Além disso, faz brincadeiras e também é famoso por ser conhecido das plantas e florestas. É também popular. Às vezes para fazer brincadeiras vem fazendo coisas pelos sítios. É assim o Saci.
Arquiles
José Victor
José Zito
Igor Rafael
6º B
TEXTO III 
Era uma vez um menino moreninho de uma perna só que sempre usava cachimbo. Adorava pregar peças nas pessoas e animais. Dizia-se que era o Saci Pererê e para capturá-lo teria que  botá-lo numa garrafa e e tirar o o gorro dele.  No dia 31 de outubro comemoramos o dia do Saci Pererê.
Maria Erica
Andressa
Wislen
Rian Vinicius
6º A


TEXTO IV
No dia 31 de outubro é comemorado o Halloween e o dia do Saci Pererê. O Saci Pererê é um negrinho com uma perna só, e que  gosta de fazer travessuras amarrando os rabos dos cavalos. Ele fica com um gorro na cabeça e fuma um cachimbo e tira o feijão das panelas, rouba fumo, cachimbo e etc.
Pabhullo
André Matheus
Felipe
Tárcio
6ª A
TEXTO V 
O Saci Pererê, é um brincalhão, de uma perna só, gorro vermelho. É o guardião da mata, protetor dos animais, gosta de bagunçar de noite na casa das pessoas que moram nos sítios. Ele faz tranças nos rabos dos cavalos, derruba as panelas das pessoas. É muito extrovertido, gosta de fumar cachimbo e viver sorrindo pela  mata.
Gleidson
Igor
Angleyvison
Eduarlarne
6º B

TEXTO VI

O Saci Pererê era um menino que gostava de travessuras com as pessoas, para capturá-lo precisa-se de uma peneira, joga-se a peneira em cima dele enquanto ele esta no redemoinho. Tira-se a carapuça e coloca em uma garrafa de vidro até ele ficar mansinho e obedecer ao seu novo dono. Ele é o protetor da natureza. Para pegar alguma planta na floresta tem que pedir permissão a ele. E se ele deixar pode pegar, mas se ele não autorizar e você teimar e pegar ele fará alguma travessura com você.
José Guilherme
Anderson Rodrigo
Tácio Vinicius
6º B


BOM DIA!
p/ Profª Luiza Pinto Moura

sábado, 27 de outubro de 2012

CONTANDO HISTÓRIAS PARA A VOVÓ -DE SEUS NETINHOS PARA VOVÓ DONA LUIZINHA




De seus netinhos para a senhora Dona Luizinha...

Perguntaram a uma menina de nove anos o que ela gostaria de ser quando crescesse. Ela respondeu: – Eu gostaria de ser avó! Ao ser interrogada sobre o porquê dessa ideia, ela completou: - Porque os avós escutam, compreendem. E, além do mais, a família se reúne inteirinha na casa deles. E a menina continuou: - Uma avó é uma mulher velhinha que não tem filhos. Ela gosta dos filhos dos outros. Um avô leva os meninos para passear e conversa com eles sobre pescaria e outros assuntos parecidos. Os avós não fazem nada, e por isso podem ficar mais tempo com a gente. Como eles são velhinhos, não conseguem rolar pelo chão ou correr. Mas não faz mal. Nos levam ao shopping e nos deixam olhar as vitrines até cansar. Na casa deles tem sempre um vidro com balas e uma lata cheia de suspiros. Eles contam histórias de nosso pai ou nossa mãe quando eram pequenos, histórias da Bíblia, histórias de uns livros bem velhos com umas figuras lindas. Passem conosco mostrando as flores, ensinando seus nomes, fazendo-nos sentir seu perfume. Avós nunca dizem “depressa, já pra cama” ou “se não fizer logo, vai ficar de castigo”. Quase todos usam óculos e eu já vi uns tirando os dentes e as gengivas. Quando a gente faz uma pergunta, os avós não dizem: “menino, não vê que estou ocupado?” Eles param, pensam e respondem de um jeito que a gente entende. Os avós sabem um bocado de coisas. Eles não falam com a gente como se nós fôssemos bobos. Nem se referem a nós com expressões tipo “que gracinha!”, como fazem algumas visitas. O colo dos avós é quente e fofinho, bom de a gente sentar quando está triste. Todo mundo deveria tentar ter um avô ou uma avó, porque são os únicos adultos que têm tempo para nós.

Só te amamos!
Mensagem recebida pelo facebook:

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

OU ISTO OU AQUILO -BRINCANDO DE POESIA - LUIZA PINTO MOURA


Se hoje  eu choro
Ou estou triste
Ou vou ao velório


Se hoje eu sorrio
Ou estou alegre
Ou vou ao circo

Se amanhã vai chover,
Ou vou ao shopping
Ou vou dormir

Se amanhã vai fazer sol
Ou vou ao cinema
Ou vou a praia

Se a noite esfria
Ou tomo café
Ou assisto TV


Se a noite esquenta
Ou fico de graça
Ou vou a praça
(Luiza Pinto Moura, Outubro, 2012)

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

10 MANDAMENTOS PARA REDES SOCIAIS - SAIU NO DIARIO DE PERNAMBUCO



As empresas estão de olho no que você posta no Facebook, Twitter, ou Orkut . Melhor seguir algumas dicas:


1- CUIDADO COM AS INFORMAÇÕES PESSOAIS - Na sua página inicial, nada de colocar celular, frases depressivas ou mesmo comentários negativos do tipo “odeio acordar cedo" ou "quero matar o meu chefe”.

2-CUIDADO COM SUAS COMUNIDADES - Aqui vale a dica anterior, não entre em comunidades que depreciam o ambiente do trabalho ou evidencie seus defeitos como " sempre chego atrasado. " nunca acordo na hora"." Meu chefe é um chato"

3- COMPARTILHE INFORMAÇÕES PROFISSIONAIS: não precisa se tornar um chato que só fala de trabalho, mas sempre existe notícias relacionadas ao que você faz que podem mostrar que você é um profissional atualizado e ligado às novidades do mercado.

4- COLOQUE FOTOS "SAUDÁVEIS": Nunca exponha demais seu corpo ou seus hábitos negativos. Não publique fotos em poses sensuais ou onde você aparece claramente bêbado. O interessante são fotos de viagens, momentos em família, reuniões com amigos ou mesmo praticando algum esporte.
5- CUIDADO AO CONVIDAR OU ACEITAR CONVITES; Apresente-se antes de enviar convites para se conectar com outras pessoas. E de bom tom explicar de onde conhece o contato ou quem o indicou. Jamais peça emprego através de uma rede virtual e nunca aceite convites de pessoas que você não conhece.

6- DÊ OPINIÕES CONSTRUTIVAS: - Ao interagir com amigos e conhecidos posicione-se sobre temas importantes e proponha visões novas sobre assuntos polêmicos. Isso mostra conhecimento e flexibilidade. Nunca comente algo que você não entende ou não domina, pois você passará uma imagem superficial e frívola.

7- PRESERVE-SE - Não faça chek-in mostrando os endereços de onde você está. Não mostre coisas de valor que comprou nas fotos. Não conte todos os seus passos nas redes sociais. Este tipo de informação é perigosa e, por vezes desinteressante. Caso você precise fazer isso escolha amigos para permitir visualização.

8- NÃO FALE MAL DE PESSOAS OU EMPRESA; nunca deprecie colegas de trabalho ou empresas na qual você trabalhou. Também não expresse desagrado com seu chefe ou ex-chefe na rede. Além de ser uma atitude antiética, isso pode influenciar seu processo seletivo.

9- NÃO EXPRESSE RANCORES: sua vida pessoal deve ser mantida na esfera privada. Nada de desabafo sobre a briga com a mãe, ou a traição do namorado. Esse pode ser um erro mortal na sua imagem.

10- NÃO FAÇA NA REDE O QUE VOCÊ NÃO FARIA NA VIDA REAL: Escrever e apertar ENTER não são uma tarefa que precisa de muita coragem. Mas antes de fazer isso, pense que todos os contatos de sua rede estarão olhando para você. Evite fazer coisas que pessoalmente, lhe deixariam constrangido.

FONTE: DIARIO DE PERNAMBUCO, 14 DE JUNHO DE 2012.
Muita Paz! 

 Profª: Luiza Pinto Moura




segunda-feira, 15 de outubro de 2012

EDUCAR PARA TRANSFORMAR -SOU PROFESSOR - PAULO FREIRE


“Sou professor a favor da decência contra o despudor, a favor da liberdade contra
o autoritarismo, da autoridade contra a licenciosidade, da democracia contra a
ditadura de direita ou de esquerda.
Sou professor a favor da luta constante contra qualquer forma de discriminação,
contra a dominação econômica dos indivíduos ou das classes sociais.
Sou professor contra a ordem capitalista vigente que inventou esta aberração: a
miséria na fartura.
Sou professor a favor da esperança que me anima apesar de tudo.
Sou professor contra o desengano que me consome e imobiliza.
Sou professor a favor da boniteza de minha própria prática, boniteza que dela
some se não cuido do saber que devo ensinar, se não brigo por este saber, se não
luto pelas condições materiais necessárias sem as quais meu corpo descuidado,
corre o risco de se amofinar e já não ser testemunho que deve ser de lutador
pertinaz, que cansa mas não desiste”.

Paulo Freire -Pedagogia da Autonomia

Como diria Fernando Pessoa, “tudo vale a pena, se a alma não é pequena”. Aos professores de almas enormes, PARABÉNS, por acreditarem que um outro mundo é possível. Aos meus colegas de trabalho, muita paz!
Feliz Dia dos Professores!

Profª Luiza Pinto Moura

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

DIA DAS CRIANÇAS -12 DE OUTUBRO - DONINO - II PARTE


SER CRIANÇA É...


... É ser feliz, por que quando é criança é feliz pra brincar e sorrir. Tharlyson, 12 anos .

... É um privilégio, que só temos uma vez na vida, é a história da nossa alegria, é se divertir, sem se preocupar com nada, nem no amanhã, por que só Deus sabe quantas diversões estão por vir. Márcia, 10 anos.
.
... é ser inocente, aquele que faz as coisas e não sabe o que faz. Izabelle, 12 anos.

... é saber brincar é se divertir, sem se preocupar ou imaginar,
é se divertir, brincar, compartilhar com as outras crianças. Ana Paula, 12 anos.

... É  ser feliz sem pensar no dia de amanhar independente de cor, raça ou religião.
... é ser muito alegre e divertido, mas não pensar no amanhã, mas nos seus pais porque nem toda criança é feliz. Felipe, 12 anos.

... É ser legal. André Afonso, 12 anos

... É ser feliz, é muito bom ser criança, podemos brincar e pular. Moisés, 12 anos.

... É ser feliz, é viver a vida alegremente. Érica, 11 anos.
.
... é muito bom e divertido. Edgar, 11 anos

... É irado. Gabriel, 12 anos.

... É harmonia. João Gabriel, 10 anos
.
.. É ser feliz, carinhosa, divertida e brincalhona. Thais, 11 anos

...É´não ser um adulto em miniatura profª Luiza Pinto Moura

DIA DAS CRIANÇAS -12 DE OUTUBRO - DONINO



SER CRIANÇA É...

... É a melhor coisa do mundo, ser criança é bom. Ser criança é fazer muita bagunça e se divertir, fazer travessuras. Diego, 14 anos,

... É fazer travessuras sem saber se vai ficar feliz com o que está fazendo, sem saber o que é perigoso, fazer coisas que nem ligo por que estou feliz com o que estou fazendo, isto é ser criança. Arquiles,14 anos

... É ser feliz, é ser um inocente que apesar de toda brincadeira, é tudo. É não pensar no amanhã por que não vale o que vale é agora e ser feliz. Jennifer Mayoni, 11 anos,

... É ser feliz sem pensar no amanhã, ser inocente, se divertir, brincar e não se preocupar com nada por que o quer importa é ser feliz. Jéssica Mayara, 12 anos, .

..É muito legal, toda criança gosta de brincadeiras legais, é bom.
Ser criança é ser feliz, ter liberdade para brincar, ter amigos bons que não façam mal
a ninguém, é muito bom por que eu já fui e ainda sou criança. Jacielly, 12 anos

.... É alegria,é ter a energia para brincar. Eryelson .12 anos

... É cantarolar alegremente Profª: Luiza Pinto Moura

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

NEM CRIANÇA, NEM ADULTO...ABORRECENTES, E DAÍ?



LIMITES!
LIMITES!
LIMITES!
LIMITES!
LIMITES!
LIMITES!


LIMITES!
LIMITES!


A adolescência é uma fase muito difícil para todos. - João Paulo, 15 anos

A adolescência é uma fase muito importante para os meninos e meninas.  Jamile Monteiro,13 anos

A adolescência é uma fase de se curtir a vida. Renyelle, 12 anos

 A adolescência é a fase melhor da vida. Lucas, 12 anos

 A adolescência é uma fase onde se aprende mais coisas, é  onde a rebeldia é constante e os desejos aumentam e a paixão também. Henrique Santos, 12 anos

 A adolescência é uma fase muito difícil para todos. Alison Cordeiro, 12 anos



A adolescência é uma fase que a pessoa mais se apaixona. Antônio Francisco, 11 anos

A adolescência é a fase que as pessoas mais se apaixonam. Gerson de Souza, 10 anos

 A adolescência é um tempo de aprender, estudar, e se preparar para o futuro, que esta á frente. José Wellington. 13 anos


A adolescência é curtir a vida. Adriano, 13 anos.

A adolescência é tempo de viver aventuras, com muita adrenalina, diversão, curtir a vida, zoar com os outros, fazer besteira e depois consertar. É tempo dos pais terem dor de cabeça. Vitória Maria.
A adolescência é  transição, é respirar a liberdade e  ter rebeldia para fazer tudo  que quiser ao mesmo tempo. Juciellly Vitória, 12 anos.


A adolescência é uma fase que a pessoa se perde nos estudos e tem que recuperar estudando muito, por isso que a adolescência é assim. Lucas Fernando, 12 anos.

A adolescência é uma fase boa, é um período de preparação, é ir pra escola se preparar para o futuro que está à frente. Jamielly, 13 anos.

A adolescência é tempo de conhecer novas paixões, de se divertir, curtir a vida e fazer besteira. Mirian Raiane.

A adolescência é ser diferente, é viver a vida como se não existisse fim, como se não existisse nenhum mal, capaz de nos atingir. Jade, 14 anos, 

BOM DIA!
profª Luiza Pinto Moura

terça-feira, 9 de outubro de 2012

DEZ APONTAMENTOS DE PAZ - ANDRÉ LUIZ


1- Aprenda a desculpar infinitamente para que os seus erros, à frente dos outros, sejam esquecidos e perdoados.

2 – Cale-se, diante do escárnio e da ofensa, sustentando o silêncio edificante, capaz de ambientar-lhe a palavra fraterna em momento oportuno.
3 – Não cultive desafetos, recordando que a aversão por determinada criatura é, quase sempre, o resultado da aversão que lhe impuseste.
4 – Não permita que o egoísmo e a vaidade, o orgulho e a discórdia se enraízem no seu coração, lembrando que toda a idéia de superestimação dos próprios valores é adubo nos espinheiros da irritação.
5 – Perante o companheiro que se rendeu às tentações de natureza inferior, deixe que a compaixão lhe ilumine os pontos de vista, pensando que, em outras circunstâncias, poderia você ocupar-lhe a indesejável situação e o lugar triste.
6 – Não erga sua voz demasiado e nem tempere a sua frase com fel para que a sua palavra não envenene as chagas do próximo.
7 – Levante-se, cada dia, com a disposição de servir sem a preocupação de ser servido, de auxiliar sem retribuição e cooperar sem recompensa, para que a solidariedade espontânea te favoreça com os créditos e recursos da simpatia.
8 – Esqueça a calúnia e a maledicência, a perversidade e as aflições que lhe dilaceram a alma, entendendo nas dores e obstáculos do mundo as suas melhores oportunidades de redenção.
9 – Lembre-se de que os seus credores estão registrando a linguagem de seus exemplos e perdoar-lhe-ão as faltas e os débitos, à medida que você se fizer o benfeitor desinteressado de muitos.

10 – Não julgue que o serviço da paz seja mero problema da boca mas, sim, testemunho de amor e renúncia, regeneração e humildade da própria vida, porque, somente ao preço de nosso próprio suor, na obra do bem, é que conseguiremos reconciliar-nos, mas depressa, com os nossos adversários, segundo a lição do Senhor.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

DEPOIS DESSA VITÓRIA DE JOÃO MENDONÇA E DO POVO DE BELO JARDIM, O QUE FALAR? A PAZ VENCEU!




Aos meus filhos: Alyson Rafael, Taynã Iara, Nides Filho, minha nora Cidiane, meu genro Daniel Wagner e meus netos Pedro Rafael e Ana Beatriz, para você também Ingrid.

 O seu avó Paulo, meu pai, sempre me dizia: Não venda, nem troque seu voto e ele pedia que votasse em CINTRA GALVÃO E JOSÉ MENDONÇA, para que eles parassem  de brigar e trabalhassem para o BEM de Belo Jardim, desde que me tornei eleitora, busquei esse sonho: PAZ! O tempo passou e eles continuaram brigando. Um deles morreu e o outro ainda vive.
Acreditei que assim, essa situação acabaria e não acabou! 

Meu voto sempre foi uma questão, para muitos, que chegaram a dizer-me que eu não sabia votar, mas como sabiam eles meu voto, se a Lei diz que o voto é secreto?  Muitas coisas passaram que não vale para o momento fazer citação, graças a Deus, ontem o povo de Belo Jardim, deu a resposta certa: Belo jardim é de DEUS, é do povo! Passamos um aval a JOÃO E CRISTIANO para que eles a administre-a, acreditamos que assim nasceu um NOVO FUTURO.

Que a paz seja mantida em cada casa, que os irmãos desequilibrados possam ser amparados e não agredidos, pois não é com dinheiro, nem tão pouco com a força física que se vence uma eleição  Na caminhada com João, pudemos observar tudo isso. E JOÃO DO POVO DE BELO JARDIM, por onde passou demostrou que conhecia cada palmo desse chão.

 Lembrem-se que não existe perdedores, pois a vitória foi da JUVENTUDE DOURADA e de todos os belojardinenses. Desejo felicidades para o povo de bem com a vida e também para aqueles que poderão nos copiar, pois o AMOR ,a  SAÚDE E A PAZ serão  sempre bem-vindas!
JOÃO E CRISTIANO, com certeza farão uma nova BELO JARDIM! E Que Deus os abençoe!

MUITA PAZ!
 sua Lu, Luiza Pinto Moura

 P.S: Mando-lhes uma foto em anexo para que vocês possam sentir a emoção: essa senhora, Dona Valdete e outros choraram de emoção com a visita dos nosso candidato a prefeito e vice-prefeito nas casas deles, mas vocês sabem que João sempre esteve junto ao povo pelas ruas de BELO JARDIM.  Quando nos reencontrarmos, lhes contarei mais sobre nossa gente Beijos.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

FAZER O BEM SEM OSTENTAÇÃO. - MEDITAÇÃO



(Manso como as pombas, mas cauteloso como as serpentes)

"Guardai-vos, não façais as boas obras diante dos homens, com o fim de serdes visto por eles, de outro modo não recebereis a recompensa de vosso Pai que está nos Céus.

Quando pois derdes esmolas, não façais tocar a trombeta diante de vós, como praticam os hipócritas nas sinagogas, e
 nas ruas, para serem

Honrados dos homens, em verdade vos digo, que eles já receberam a sua recompensa.

Mas quando derdes esmolas, que não saiba a vossa mão esquerda o que faz a direita. Para que a esmola fique escondida, e vosso Pai que vê o que o que vós fazei em secreto, vos pagará"
 (MATEUS)

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ATIRE A PRIMEIRA PEDRA - (JO 8:7) - É FORTE!

Atire a Primeira Pedra

Sergito de Souza Cavalcanti

VII

A tendência do homem é acusar e condenar os outros ao invés de olhar para seus próprios defeitos. É colocar-se numa atitude de superioridade e do alto de seu orgulho, apontar pecados alheios e pedir para eles a sentença da condenação. Ouve-se por aí: os outros estão errados, nós é que estamos certos.
Quem somos nós para julgar os outros? Para apedrejá-los com nossas acusações descaridosas? Deixemos à Deus o julgamento e aprendamos do próprio exemplo de Jesus a condenar o pecado e salvar o pecador.
Quando alguns fariseus e escribas repletos de ódio e despeito acusaram a mulher adúltera exigindo seu apedrejamento, o Mestre ergue-se e diz: “O que está puro entre vós atire a primeira pedra”(Jo 8:7). Com essa postura devolve a eles o julgamento da mulher adúltera. A lei de Moisés previa o apedrejamento da mulher flagrada em adultério. A indagação daqueles fariseus se deviam ou não apedrejar a adúltera era uma autêntica cilada. Se o Mestre sentenciasse: “Podem apedrejá-la”, estaria negando todos os ensinos misericordiosos de sua doutrina. No entanto, se dissesse: “Não devem matá-la”, seria imediatamente acusado perante às autoridades como desrespeitador da Leis Mosaicas, o que na época constituía-se em falta grave e verdadeira heresia. A cilada estava preparada. A trama estava bem urdida, o plano tinha requintes de astúcia e não podia falhar. Aparece, então, a sabedoria do Mestre Divino: nem manda que eles cumpram a lei e apedrejem a mulher e nem se coloca contra a lei, condenando a lapidação. Em vez dessas duas alternativas, a primeira vista inevitáveis, lança-lhes um desafio: “Quem não tiver pecado, atire a primeira pedra”(Jo 8:7). “E eles se foram retirando envergonhados um a um, a começar pelos mais velhos” (Jo 8:8)
Quanto mais evoluído é um espírito, tanto maior é sua capacidade de perdoar. Quando perdoamos e amamos somos envolvidos pelo amor, quando não perdoamos e odiamos, somos envolvidos pelo ódio. É uma lei imutável. Se semearmos perdão, colheremos tolerância.
Reprovar infelizmente é a ação que mais praticamos. Condenar, torna-se mais fácil que ser solidário. Aceitar o erro como um possível caminho para o acerto é muito difícil, no tribunal injusto de nossa personalidade egoísta. Nossa tendência é sempre ver o erro nos outros e nunca em nós mesmos. Ao invés de acusar, deveríamos estar prontos para entender a fraqueza de nosso semelhante, pois também, nós muito erramos. Conforme o próprio Cristo afirmou: “Quem tiver sem pecado, que atire a primeira pedra” (Jo 8:7)


http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/sandalo/sandalo-07.html


Bom dia, amigos, muita paz!
Profª Luiza Pinto Moura

domingo, 23 de setembro de 2012

ELEITORES NÃO SE ILUDAM -MEU PAI DIZIA:" VOLTE EM CINTRA E MENDONÇA" PARA QUE ELES TRABALHEM POR BELO JARDIM E ACABEM COM ESSA BRIGA, MAS O ÚNICO QUE ESTÁ PEDINDO PAZ, HOJE, É JOÃO MENDONÇA


ATUALIZADO 7 HORAS E 15 MINUTOS , EM 09/10/2012 - NA CIDADE QUE TEM UM NOVO PREFEITO: JOÃO MENDONÇA BEZERRA JATOBÁ

MEU PAI DIZIA: "VOLTE EM CINTRA E MENDONÇA PARA QUE ELES TRABALHEM POR BELO JARDIM E ACABEM COM ESSA BRIGA". -Um, que Deus o tenha, o outro está vivo, então acreditei que haveria neste instante a concórdia, mas, do lado de Zé Mendonça ficaram Mendonça Filho e João Mendonça Bezerra, lideranças políticas do Estado de Pernambuco, de acordo com o as histórias e boatos (Terra de Marocas, tem que ter fofoca), o pote rachado, NESTA HISTÓRIA  FOI  JOÃO QUE  SE AFASTOU, PORÉM ELES NÃO CITARAM QUE ELE SE AFASTOU PARA QUE HOJE MAIS UMA VEZ ESTEJA DO LADO DO POVO DE BELO JARDIM QUE CALOROSAMENTE NAS RUAS GRITA: – VOLTA, JOÃO!

Aos poucos João foi conquistando os belojardinenses, espalhando sua alegria e trabalhando com o povo e pelo povo. E incomodando muita gente, por não aceitar compartilhar com pensamentos contrários que não eram para o povo, nem pelo povo. Ontem as ruas de Belo Jardim demostrou mais uma prova de carinho e confiança a João Mendonça e Cristiano Cabeludo, mas vocês conhecem a história do POTE RACHADO?

ANALISE COMO SE ENQUADRA AO CANDIDATO A PREFEITO, JOÃO MENDONÇA – ESSE QUE FAZ A DIFERENÇA.

 Um carregador de água na Índia levava dois potes grandes, ambos pendurados em cada ponta de uma vara a qual ele carregava atravessada em seu pescoço. Um dos potes tinha uma rachadura, enquanto o outro era perfeito e sempre chegava cheio de água no fim da longa jornada entre o poço e a casa do chefe. O pote rachado chegava apenas pela metade.
Foi assim por dois anos, diariamente, o carregador entregando um pote e meio de água na casa de seu chefe. Claro, o pote perfeito estava orgulhoso de suas realizações.  Porém, o pote rachado estava envergonhado de sua imperfeição, e sentindo-se miserável por ser capaz de realizar apenas a metade do que havia sido designado a fazer. 
Após perceber que por dois anos havia sido uma falha amarga, o pote falou para o homem um dia, à beira do poço: 
- Estou envergonhado, quero pedir-lhe desculpas.
- Por quê? Perguntou o homem. - De que você está envergonhado?
- Nesses dois anos eu fui capaz de entregar apenas metade da minha carga, porque essa rachadura no meu lado faz com que a água vaze por todo o caminho da casa de seu senhor. Por causa do meu defeito, você tem que fazer todo esse trabalho, e não ganha o salário completo dos seus esforços, disse o pote.
O homem ficou triste pela situação do velho pote, e com compaixão falou:
- Quando retornarmos para a casa do meu senhor, quero que percebas as flores ao longo do caminho. 
De fato, à medida que eles subiam a montanha, o velho pote rachado notou flores selvagens ao lado do caminho, e isto lhe deu ânimo. Mas ao fim da estrada, o pote ainda se sentia mal porque tinha vazado a metade, e de novo pediu desculpas ao homem por sua falha. Disse o homem ao pote:
- Você notou que pelo caminho só havia flores no seu lado do caminho??? Notou ainda que a cada dia, enquanto voltávamos do poço, você as regava??? Por dois anos eu pude colher flores para ornamentar a mesa do meu senhor. Sem você ser do jeito que você é, ele não poderia ter essa beleza para dar graça à sua casa.
Autor desconhecido


REFLITAM!
 “O que está puro entre vós atire a primeira pedra”(Jo 8:7).

BOM DIA, MEU POVO,
BOM DOMINGO!
Profª Luiza Pinto Moura

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

NOSSA AULA DE HOJE -O BEIJA-FLOR E O INCÊNDIO - 7º ANO A



 Havia um grande incêndio na floresta. As chamas se elevavam a uma enorme altura e as árvores começavam a ser pouco a pouco destruídas pelo fogo.
Os animais, apavorados, corriam em busca de abrigo, fugindo desesperadamente da catástrofe. Enquanto isso, um pequenino beija-flor voava velozmente até o rio, pegava no minúsculo bico uma gota de água e trazia-a até a borda da floresta, deixando-a cair sobre as chamas. Observando o vai-e-vem da ave, uma coruja velha e ranzinza que ia passando por ali o interrogou:
- O que você está fazendo, beija-flor?
- Não está vendo? Estou trazendo água do rio para apagar o incêndio antes que ele destrua toda a floresta – respondeu à avezinha.
- Você deve ser maluco – disse a coruja. – Não está vendo que é impossível apagar esse incêndio enorme com essa gotinha de água?
- Sei disso – o beija-flor falou. – Estou apenas fazendo a minha parte.
(Autor Desconhecido)

PODEMOS FAZER A DIFERENÇA:

1- SE VOCÊ RECEBESSE UM DOM, O QUE MUDARIA NA SUA CIDADE?
1.1 EDUCAÇÃO
1.2 SAÚDE
1.3 SANEAMENTO BÁSICO
1.4 CALÇAMENTO E ASFALTO NAS RUAS
1.5 A FEIRA LIVRE - REORGANIZAVA
1.6 OS PREÇOS DAS ROUPAS - COMÉRCIO LOCAL


2.O QUAIS ESTRATÉGIAS VOCÊ USARIA PARA FAZER ESSA TRANSFORMAÇÃO?

3.O QUAIS SERIAM OS MAIS BENEFICIADOS? COMENTE.

4.O AGORA USANDO AS SUAS RESPOSTAS, FAÇA SEU TEXTO E O APRESENTE AO GRANDE GRUPO.


A aula foi por demais interessante, na questão 1.0, as respostas foram dos alunos.
É só começar...

" Quando a gente não quer, qualquer desculpa serve"
Profª Luiza Pinto Moura


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

ESPIRITAS NA POLÍTICA - Será que o espírita está impedido de exercer alguma função política?



Paulo Roberto Santos
É por demais conhecida a resistência dos espíritas em tratar de questões políticas dentro ou fora dos centros. A política, em virtude de Ter se convertido em campo fértil para a ação de aproveitadores e espertalhões de todo tipo, passou a causar desinteresse por parte daqueles que por uma razão ou outra não concordam com tal estado de coisas, embora na prática, nada façam para mudá-lo.

Há muitos equívocos, ignorância e falso moralismo quando se fala em política. Confunde-se politiquice, politicagem e politicalha com a arte da política, a ciência política, voltada para a gestão do interesse coletivo dentro das normas e princípios éticos extremamente importantes para a vida de relação.
É verdade que a política partidária vai de mal a pior. Com o afastamento dos grandes estadistas da função pública, por velhice, morte, desinteresse descrença, etc., o campo fica livre para os corruptos e corruptores que se valem do poder e prestígio dados pela posição para favorecimentos pessoais, de amigos, empresas, etc.

No entanto, existem (ainda bem) bons políticos dirigindo os interesses da nação. São poucos e para aumentar seu número deveríamos passar do estágio da indignação para o da ação.
Para isso é preciso rever conceitos, concepções e idéias acerca da função pública e retomá-la como atividade saudável para saneá-la em seus procedimentos e objetivos.

Será que o espírita está impedido de exercer alguma função política?

Não há em lugar algum da codificação alguma referência que descredencie a política como atividade humana necessária à vida social ou que a apresente como algo que degrade o ser humano, que o rebaixe de alguma forma. Existem, sim, textos vários que, se lidos de uma perspectiva política, podem fornecer preciosos subsídios para aqueles que desejem atuar formal ou informalmente na vida pública. A terceira parte de O Livro dos Espíritos, por exemplo, que trata das Leis Morais, vários textos inseridos em Obras Póstumas (como As Aristocracias) e mesmo em O Evangelho Segundo o Espiritismo.
A verdade é que a vida social exige a convivência política, própria da “polis”, lugar onde vivem os cidadãos. E o Estado tornou-se uma necessidade, tanto quanto a estrutura burocrática e os partidos e respectivos representantes, apesar de todas as merecidas críticas.
Será que o espírita está impedido de exercer alguma função política? Do ponto de vista doutrinário, certamente não. Éuma atividade como outra qualquer, com seus tropeços e dificuldades, exigindo habilidades e vocação. A rejeição generalizada da política dentro do movimento espírita deve-se à nossa formação basicamente religiosa e mística, raiando o pieguismo e, principalmente, a preconceitos totalmente infundados. Poucos seriam capazes de justificar racionalmente, razoavelmente e doutrinariamente, porque não participar da política partidária, da defesa dos interesses da nação e do bem comum. Na verdade, é mais cômodo deixar que outros se ocupem dessas tarefas estressantes, comprometedoras e de alto risco. Dentro dessa lógica, como melhorar a vida social, se aqueles que poderiam levar conceitos e parâmetros novos para as deCisões nas Câmaras de Vereadores ou Assembléias Legislativas, se limitam a fazer coro com os críticos de plantão?
A Doutrina Espírita tem muito a oferecer para a vida pública através de eventuais representantes, influenciando na elaboração de novas leis, inibindo a ação de aproveitadores através de posturas mais éticas, sem concessões perigosas, com discursos moralizadores (e não falso moralismo), que mostrem que - há alternativas, novas possibilidades e novos caminhos.
Quem poderia, afinal, tornar-se um candidato às eleições e assumir um cargo de representatividade na esfera partidária? Qualquer espírita, homem ou mulher, com boa formação doutrinária, alguma experiência de vida, boa saúde física e emocional, bom nível de cultura geral, boas idéias e algum carisma, além de facilidade de expressar-se por escrito ou verbalmente. Convém lembrar que a função política tornou-se uma função técnica onde só a boa vontade não basta. Uma equipe de apoio, coragem para o exercício do mandato e, certamente, a Providência Divina não faltará com o restante. Cuidado especial deve ser tomado na escolha do partido político. Uma escolha errada pode por tudo a perder já que os partidos representam interesses de parcelas da população, de grupos sociais e até de setores empresariais. Deve-se buscar o partido que mais se aproxime, em sua plataforma de trabalho, do ideário espírita. Certamente não serão os partidos de direita, ligados a setores conservadores e retrógrados das oligarquias, urbana ou agrária.
O assunto é polêmico sem dúvida, mas merece reflexões por parte daqueles de mente mais aberta e que já se cansaram de ver as coisas se repetindo. Gente mexendo em tudo para não mudar nada e a miséria se alastrando como uma praga. Há uma boa bibliografia espírita para subsidiar as reflexões dos interessados como:

Filosofia Social Espírita (FEB) e O Plano Social de Deus (Edicel), ambos de Ney Lobo. Espiritismo e Formação Política, de nossa autoria (EME Ed.), Parapsicologia e Materialismo Histórico de Humberto Mariotti (Edicel), e os textos citados da Codificação, para mencionar apenas alguns. Espíritas na política sim. Por que não?
REVISTA ESPÍRITA DE CAMPOS – NO. 51 jul/ago/set 99

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

ELIZETE, UM ANO DE SAUDADES - FAMÍLIA PINTO MOURA


Quatro de setembro fez um ano que partistes,
Deixastes saudades, problemas que se acabaram aqui na terra
Filhos que se desencontraram, mas Deus é o mesmo.
Que Ele tenha piedade de ti .
Saudades,
Muita Paz!
ELIZETE FRANCISCA DOS SANTOS
*19/03/1974
+04/09/2011

terça-feira, 28 de agosto de 2012

PARAFRASEANDO - O MENINO E O SÁBIO




Certo dia um menino saiu para fazer um passeio e encontro um pássaro, imediatamente o apreende, pois que levá-lo para questionar um sábio.

Chegando às montanhas encontrou -o orando e chama-lhe para conversar. O sábio para suas orações e vem dar atenção ao menino  que pensa: “se ele disser que está vivo, eu apertarei as mãos até que ele morra, mas se disser que está morto abrirei minhas mãos e o soltarei Depois coloca as mãos para trás e pergunta:

-O que eu tenho em minhas mãos?

O sábio medita e medita, depois responde:

-É um pássaro, e a vida dele, está em suas mãos.Se você o apertar ele morrerá, mas se você o soltar ele voltará à natureza. Assim mesmo é a vida, se você fizer boas ações terá uma boa vida, caso contrário os resultados serão desastrosos, porém lembre-se o amanhã depende de Deus.
O menino sai cabisbaixo e envergonhado, mas o pássaro voou para seu refúgio.

(Parafraseando o texto de um autor desconhecido - Luiza Pinto Moura, Agosto,2012)