domingo, 27 de março de 2011

CARTA AOS AMIGOS - SAÚDE

Queridos amigos,

Informo-lhes que, graças a Deus estou bem melhor, já consigo articular as palavras muito bem. Com apoio da fonoaudióloga Socorro Porto, estou novinha em folha, com diria meus alunos.

Quando irei voltar? Não sei, creio que para sala de aula, não voltarei este ano. Mas mesmo assim não quero contar esses laços que foram tão importantes na minha vida. Algumas vezes, usarei meu tempo para visitá-los. A correria a procura de médicos é grande, mas acharei tempo para matar a saudade.

Agradeço a todos pelo carinho, pelas orações, pelas visitas, por toda dedicação. Que Deus os cubra de bênçãos!

Obrigada, muita Paz!
Com carinho,
Luiza Pinto Moura



P: S Sim continuem orando pela minha saúde, pois, creio que "Tudo posso Naquele que me fortalece." Grande Beijo!


REFLEXÃO DOMINICAL

"Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo." (Mahatma Ghandi)

sábado, 26 de março de 2011

SINTEPE ASSUME MAIORIDADE - 21 ANOS - PARABÉNS!


Há exatamente 21 anos, iniciei minha carreira profissional entrando pela porta da Escola Maria Galvão, onde trabalhei por nove anos com uma equipe muito boa: Adalva Maragon, Sônia Galvão Bernardina Araújo e muitos professores amigos.

Nesta mesma data acabava-se uma greve no governo de Miguel Arraes, surgindo o SINTEPE (Sindicato dos Trabalhadores de Educação de Pernambuco) , lutas e mais lutas, trabalhadores sempre reivindicando espaços melhores, condições de trabalhos com dignidade, questão salarial e outras.

A comemoração é nossa que mesmo nas adversidades não fugimos da luta.O SINTEPE assume a maioridade 21 anos trabalhando em prol dos seus associados. Alguns momentos que podem ser repensados e aproveitados como crescimento e melhoria.

Recordo-me das grandes Conferências, onde pude prestigiar algumas com muita satisfação. Aproveitando a oportunidade com compromisso e responsabilidade para uma aprendizagem, muitas coisas levei aos meus companheiros de trabalho e alunos. Ao participar de plenárias com mesas redondas com palestrante como Terezinha Rios, Pablo Gentille ,Horácio Reis , Teresa Leitão, Carlos Abicalil e outros.

Que o crescimento e competência seja mais e mais atrelados ao compromisso com os Trabalhadores de Educação de Pernambuco.

Avante, SINTEPE!

(Luiza Pinto Moura, Memórias, Março, 2011)

P:S Não citei nomes dos colegas daquela época, para não correr risco de omitir alguns, pois todos foram dedicados ao trabalho em conjunto com competência e muito compromisso com a educação.

quarta-feira, 23 de março de 2011

PARAFRASEANDO A FORMIGA E A CIGARRA


Num mundo encantando havia um reino da república das formigas que trabalhavam sem parar, enquanto no alto de uma árvore havia uma cigarra que cantava todos os dias mais tinha apenas um slogan:" não precisa de dinheiro para ouvir meu canto" - e assim cantou por mais de vinte anos.

Chegou o inverno, chegou o verão e ela ali alegrando o campo com o seu canto. A formiga economizava o quanto podia, mas a cigarra não estava nem se preocupando, já fizera um plano de saúde, comia sempre que a bicharada permitia, e assim que aparecesse mais um alimento. O que poderia querer mais da vida?

Certo dia veio a doença... aqueles que ela alegrou por tanto tempo fecharam as portas. Não temos tempo, não temos tempo... A pobre Cigarra lembrou da amiga formiga foi a sua procura:

-Amiga formiga preciso da sua ajuda, a voz anda sumida, não posso mais cantar. você pode me ajudar?

- Infelizmente amiga, não tenho tempo, desculpe-me, mas preciso trabalhar...

A cigarra saiu a busca da sua saúde e pensou: Como fui boba! Se na juventude tivesse feito umas economias não precisava enfrentar a fila de espera para uma consulta médica. E agora, o que farei?

Mas no momento de angústia a bicharada lembrou que aquela criatura também os alegrara com seu canto quando todos estavam trabalhando ela também fora útil. Era cantora, fazia belas melodias...

- A formiga repensou sua vida, reviveu os bons momentos e foi ajudar sua amiga dando-lhe abrigo e todo seu corforto naquele casarão, no reino da república das formigas.

Alguns meses se passaram e a cigarra voltou a cantar alegrando a todos.E no reino da república das formigas a vida foi só alegrias e novas canções. Então elas viveram felizes para sempre, enquanto uma trabalhava cantando, a outra trabalhava ceifando cada folhinha que encontrava.

MORAL A juventude passa como um cavalo a galope. Cuide-se, pois um país que seus idosos não tem prioridade, vale mais um jovem precavido.

(Luiza Pinto Moura, Memórias, Março 2011)

terça-feira, 22 de março de 2011

TRABALHA AGORA


Pondera o tempo – mar em que navegas,

Invisível apoio que ter escora.

Não te afundes no abismo, sendo afora,

Nem prossigas, em vão, tateando às cegas.

Glórias, delitos, lágrimas, refregas,

Tudo é feito no tempo, de hora a hora...

Estende o amor e a paz, semeando agora

As riquezas do tempo que carregas!

Inda que a dor te oprima e o mal te afronte,

Vive, qual novo dia do horizonte,

Sem que a névoa do mundo te abastarde...

Hoje! Trabalha agora, em cada instante;

Agora! Trilha aberta ao sol triunfante!...

Muitas vezes, depois é muito tarde!...



AUTA DE SOUZA*


domingo, 20 de março de 2011

Trabalhadores da rede pública são afastados por problemas de saúde

Notícias - Destaque
Escrito por Anna Maria Salustiano
Qui, 17 de Março de 2011 14:48

Dados recentes do Jornal de Brasília revelam que a cada mês, cerca de 900 servidores da rede pública são retirados das suas funções devido a tratamentos de saúde. Doença ocupacional e acidente em serviço também estão entre as principais causas.

Em média 30 trabalhadores, por dia, deixam as escolas e salas de aula. Nos três primeiros meses do ano, mais de 103 mil licenças médicas foram concedidas. O problema se agrava porque não tem profissionais para repor as ausências.

O presidente do Sintepe, Heleno Araújo destaca que a situação é de alerta e reforça "Entre as nossas reivindicações estão: valorização profissional, melhores salários e condições dignas de trabalho. Muitos problemas seriam evitados e nossos alunos não seriam prejudicados". Segundo a pesquisa do Jornal de Brasília quase 30 mil dias foram dados a 2.441 professores devido aos problemas de saúde.

O presidente da Confederação Nacional de Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Leão, alega ser as condições de trabalho o principal fato gerador das doenças profissionais. O sindicalista frisa "Salas superlotadas, jornada intensa e falta de infraestrutura se destacam".

Vale ainda uma ressalva, na pesquisa não entraram informações como: baixo salário e segurança. "Os professores sofrem uma sobrecarga muito grande e acabam exercendo diversos papéis, como de assistente social, psicólogo, orientador e mediador de conflitos", sublinha Roberto Leão

http://www.sintepe.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1288:900-trabalhadores-da-rede-publica-saem-mensalmente-das-funcoes-por-problema-de-saude&catid=40:noticias

BORBULHAS DE AMOR




Tenho um coração
Dividido entre a esperança e a razão
Tenho um coração
Bem melhor que não tivera

Esse coração
Não consegue se conter ao ouvir tua voz
Pobre coração
Sempre escravo da ternura

Quem dera ser um peixe
Para em teu límpido aquário mergulhar
Fazer borbulhas de amor pra te encantar
Passar a noite em claro
Dentro de ti

Um peixe
Para enfeitar de corais tua cintura
Fazer silhuetas de amor à luz da lua
Saciar esta loucura
Dentro de ti

Canta, coração
Que esta alma necessita de ilusão
Sonha, coração
Não te enchas de amargura

Esse coração
Não consegue se conter ao ouvir tua voz
Pobre coração
Sempre escravo da ternura

Quem dera ser um peixe
Para em teu límpido aquário mergulhar
Fazer borbulhas de amor pra te encantar
Passar a noite em claro
Dentro de ti

Um peixe
Para enfeitar de corais tua cintura
Fazer silhuetas de amor à luz da lua
Saciar esta loucura
Dentro de ti

Uma noite
Para unirmos até o fim
Cara a cara, beijo a beijo
E viver para sempre
Dentro de tI

(Fagner)

REFLEXÃO DOMINICAL

"Quando Deus manda os mares se abrem e a trombeta sopra livrando-nos das tribulações" (Luiza Pinto Moura)

sábado, 19 de março de 2011

DIANTE DO ESPELHO


Uma criança que nasceu
Um menino que sorri
Um ancião que recorda

Diante do espelho

Uma vida que surgiu
Uma vida que desabrocha
Uma vida que espera

Diante do espelho

Um sonho a vivenciar
Um sonho a realizar
Um sonho a despertar

Diante do espelho

Uma criança que nasceu
Um menino que sorri
Um ancião que recorda

Diante do espelho

Uma estrela a brilhar
Uma estrela a iluminar
Uma estrela cadente a cintilar

(Luiza Pinto Moura, Março, 2010)

sexta-feira, 18 de março de 2011

DICAS - SABE O QUE É UM PALÍNDROMO?

NÃO?!



Um palíndromo é uma palavra ou um número que se lê da mesma maneira nos dois sentidos, normalmente, da esquerda para a direita e ao contrário.

Exemplos: OVO, OSSO, RADAR. O mesmo se aplica às frases, embora a coin cidência seja tanto mais difícil de conseguir quanto maior a frase; é o caso do conhecido:

SOCORRAM-ME, SUBI NO ONIBUS EM MARROCOS.

Diante do interesse pelo assunto (confesse, já leu a frase ao contrário), tomei a liberdade de selecionar alguns dos melhores palíndromos da língua de Camões...



ANOTARAM A DATA DA MARATONA

ASSIM A AIA IA A MISSA

A DIVA EM ARGEL ALEGRA-ME A VIDA

A DROGA DA GORDA

A MALA NADA NA LAMA


A TORRE DA DERROTA

LUZA ROCELINA, A NAMORADA DO MANUEL, LEU NA MODA DA ROMANA: ANIL É COR AZUL

O CÉU SUECO

O GALO AMA O LAGO

O LOBO AMA O BOLO

O ROMANO ACATA AMORES A DAMAS AMADAS E ROMA ATACA O NAMORO

RIR, O BREVE VERBO RIR

A CARA RAJADA DA JARARACA

SARAM O TIO E OITO MARIAS

ZÉ DE LIMA RUA LAURA MIL E DEZ


E sabe o que é tautologia?


É o termo usado para definir um dos vícios, e erros, mais comuns de linguagem. Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.
O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'. Mas há outros, como pode ver na lista a seguir:

- elo de ligação
- acabamento final
- certeza absoluta
- quantia exata
- nos dias 8, 9 e 10, inclusive
- juntamente com
- expressamente proibido
- em duas metades
iguais
- sintomas indicativos
- há anos atrás
- vereador da cidade
- outra alternativa
- detalhes
minucioso
- a razão é porque
- anexo junto à carta
- de sua
livre escolha
- superávit
positivo
- todos foram unânimes
- conviver
junto
- fato real
- encarar de frente
- multidão de pessoas
- amanhecer o dia
- criação nova
- retornar de novo
- empréstimo temporário
- surpresa inesperada
- escolha opcional
- planear antecipadamente
- abertura
inaugural
- continua a permanecer
- a
última versão definitiva
-
possivelmente poderá ocorrer
- comparecer
em pessoa
- gritar
bem alto
- propriedade característica
- demasiadamente excessivo
- a seu critério
pessoal
- exceder em muito .

Note que todas essas repetições são dispensáveis.
Por exemplo, "surpresa inesperada". Existe alguma surpresa esperada? É óbvio que não.
Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias. Fique atento às expressões que utiliza no seu dia-a-dia.

Gostou?
Reenvie para os amigos amantes da língua portuguesa.


*Recebi esse E-mail, porém não sei a autoria, mas o achei interessante e estou divulgando.

(Luiza Pinto Moura)

quinta-feira, 17 de março de 2011

ABC do Preguiçoso _ Xangai



"Não são apenas às músicas velhas ou novas que nos fazem felizes, às lembranças de pessoas que são ou foram importantes em nossas vidas, também nos fazem felizes." (Luiza Pinto Moura)

PARAFRASEANDO - EMPURRE SUA VAQUINHA


Um sábio em suas andanças pede hospedagem em um casebre por uma noite. O proprietário um simples camponês, com uma prole de três filhos, o recepcionou com todos as boas vindas a um grande amigo, acomodando-o no celeiro, onde lá havia um quartinho para hospedes.

Após a dona Maria, servir o jantar foram tirar uma prosa lá no alpendre da casa.
-- Do que vocês vivem?
- Nós temos uma vaquinha que dá alguns litros de leite por dia que meu filho ordenha e vende o leite para a comunidade, então assim compramos farelo para Mimosa e algumas coisinhas pra gente ir vivendo, sabe, como é?

O sábio, ficou indignado e durante a madrugada levou a Mimosa até um penhasco que sumiu sem deixar "rastros". Pela manhã tomou um café, despediu-se dos donos da casa e seguiu caminhada. Agora vamos esperar o que acontece.

Passando-se uns seis anos após o ocorrido retornou ao sítio para rever o que eles aprenderam aos longos dos anos. Chegando lá percebeu que seu intuito dera certo. O sítio era que era uma beleza: muitas plantações, mais algumas cabeças de gado. Às crianças bem vestidas, a casa bem mais limpa e todos felizes.

Pensou que eles havia vendido a propriedade, mas avistou o compadre, bem vestido, alegre e sorridente, aparentando mais jovem.

-E aí, compadre? Como tem passado ao longo dos anos?

- Mas compadre, não sei por onde começar. Aquela vaquinha que nós criávamos morreu. Meu filho, mais velho tinha algumas economias comprou sementes, plantamos. Comprou mais algumas cabeças de gado e tocamos o barco. Todos pegaram gosto ao trabalho e nossa casa é só alegria.

O sábio maravilhado ouvia a história e sentiu que o seu plano dera certo, aquela família havia transformado momentos ruins em momentos mágicos, mas que já não interessava contá-los a sua iniciativa. Tudo ficara como ele planejara.

Pense nessa história!


Todos nós temos uma "vaquinha" que nos dá alguma coisa básica para a sobrevivência e uma convivência com a rotina, limitando nosso progresso. Descubra qual é a sua e, sem perda de tempo, empurre-a morro abaixo!

(Luiza Pinto Moura, Memórias,2011)

quarta-feira, 16 de março de 2011

O PORTÃO


Eu cheguei em frente ao portão,
meu cachorro me sorriu latindo
Minhas malas coloquei no chão,
eu voltei

Tudo estava igual como era antes,
quase nada se modificou
Acho que só eu mesmo mudei,
e voltei ...

Eu voltei,
agora pra ficar,
porque aqui,
aqui é o meu lugar
Eu voltei pras coisas que eu deixei,
eu voltei ...

Fui abrindo a porta devagar,
mas deixei a luz entrar primeiro
Todo meu passado iluminei,
e entrei ...

Meu retrato ainda na parede,
meio amarelado pelo tempo
Como a perguntar por onde andei
e eu falei ...

Onde andei não deu para ficar,
porque aqui,
aqui é o meu lugar

Eu voltei pras coisas que eu deixei,
eu voltei ....

Sem saber depois de tanto tempo
se havia alguém a minha espera
Passos indecisos caminhei
e parei

Quando vi que dois braços abertos,
me abraçaram como antigamente
Tanto quis dizer e não falei
e chorei ....


Eu voltei,
agora pra ficar
porque aqui,
aqui é o meu lugar


(Roberto Carlos)

segunda-feira, 14 de março de 2011

PARAFRASEANDO - O ECO E A VIDA


Uma criança estava com seu pai próximo a algumas montanhas. Afasta-se do pai e começa a gritar em direção às montanhas palavras de desprezo, diversos xingamentos...

-NÃO GOSTO DE VOCÊ !!!!!!!!!! -Grita o menino
-NÃO GOSTO DE VOCÊ !!!!!!!!!!- Ecoa estrondosamente
.
Após gritar bastante começa a soluçar e não se dar conta que seu pai se aproxima . Muito preocupado ele vai até o filho e o questiona:

- O que foi? Por que você está chorando?
- Ali tem alguém que está me xingando...

O pai olha para todos os lados e não ver ninguém- e pergunta ao filho:

-Como?

-Veja papai - gritou.

-NÃO GOSTO DE VOCÊ !!!!!!!!!!
-NÃO GOSTO DE VOCÊ !!!!!!!!!!- Ouviu mais uma vez o eco.

O pai olha para o filho e tenta explicar o ECO e diz pra ele:

-Meu filho, às pessoas chamam isso de ECO, mas do mesmo jeito é a vida , ela lhe dar de volta tudo que você diz ou faz, ela é o reflexo de suas ações. Se você quer mais amor no mundo, crie mais amor no seu coração, se você quer mais competência na sua equipe, desenvolva sua competência. O mundo é somente prova da nossa capacidade. Tanto no pessoal quanto no profissional a vida lhe dar de volta o que você deu a ela...

Faça diferente agora, grite palavras de otimismo, de ânimo, alegria...

-EU AMO VOCÊ!!!!!!!! - Entre soluços ele gritou.
-EU AMO VOCÊ!!!!!!!! - Foi a resposta
.
-VOCÊ É UM CAMPEÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!- O menino grita mais uma vez
-VOCÊ É UM CAMPEÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!- Na montanha ecoa


-Meu filho, quando aprendemos os valores morais tratando os outros como gostaríamos de sermos tratados a vida nos sorrir e assim vivemos com uma qualidade de vida melhor.Aprenda esta lição e a propague aos seus amigos.

Ao retornarem aquela criança havia aprendido pelo amor e não pela dor, pois se você não procura a edificação da sua vida moral o amanhã estará perdido no horizonte...



(Luiza Pinto Moura- Memórias -Março,2011)

domingo, 13 de março de 2011

DEBAIXO DOS CARACÓIS DOS SEUS CABELOS




Um dia a areia branca
Teus pés irão toca
E vai molhar seus cabelos
A água azul do mar

Janelas e portas vão se abrir
Pra ver você chegar
E ao se sentir em casa
Sorrindo vai chorar

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Uma história pra contar
De um mundo tão distante
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Um soluço e a vontade
De ficar mais um instante

As luzes e o colorido
Que você vê agora
Nas ruas por onde anda
Na casa onde mora

Você olha tudo e nada
Lhe faz ficar contente
Você só deseja agora
Voltar pra sua gente

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Uma história pra contar
De um mundo tão distante
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Um soluço e a vontade
De ficar mais um instante

Você anda pela tarde
E o seu olhar tristonho
Deixa sangrar no peito
Uma saudade, um sonho

Um dia vou ver você
Chegando num sorriso
Pisando a areia branca
Que é seu paraíso

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Uma história pra contar
De um mundo tão distante
Debaixo dos caracóis dos seus cabelos
Um soluço e a vontade
De ficar mais um instante

(Roberto Carlos)

REFLEXÃO DOMINICAL

Agradece à família em que nasceste; ela é valiosa seção do grande educandário da Terra, em que a Providência Divina te matriculou para estágio transitório no serviço de teu próprio aperfeiçoamento
João Augusto Chaves

A COBRA E O VAGALUME


Conta a lenda que uma vez uma serpente começou a perseguir um vagalume. Este fugia rápido, com medo da feroz predadora e a serpente nem pensava em desistir. Fugiu um dia e ela não desistia; dois dias e nada. No terceiro dia, já sem forças, o vagalume parou e disse à cobra:
- Posso lhe fazer três perguntas?
- Não costumo abrir esse precedente para ninguém, disse a cobra, mas já que vou lhe devorar mesmo, pode perguntar.
- Pertenço à sua cadeia alimentar ?, perguntou o vagalume.
- Não. Respondeu a cobra.
- Eu lhe fiz algum mal? Perguntou o vagalume.
- Não. Respondeu novamente a cobra.
- Então, por que você quer acabar comigo? Perguntou novamente o vagalume.
- Porque não suporto ver você brilhar... . . Disse finalmente o ofídio.
Diariamente estamos sendo perseguidos por víboras em nosso ambiente de trabalho, escola ou meio social. Pense nisso e selecione as pessoas em quem confiar.

(Fábula - Autor Desconhecido)
MORAL DA HISTÓRIA:
“Se a sua estrela não brilha, não ofusque a dos outros”.

sábado, 12 de março de 2011

VAPOR BARATO/ FLOR DA PELE


Oh, sim, eu estou tão cansado
Mas não pra dizer
Que eu não acredito mais em você
Com minhas calças vermelhas
Meu casaco de general
Cheio de anéis
Vou descendo por todas as ruas
E vou tomar aquele velho navio
Eu não preciso de muito dinheiro
Graças a deus
E não me importa, honey

Minha honey baby
Baby, honey baby
Oh, minha honey baby
Baby, honey baby
Oh, sim, eu estou tão cansado
Mas não pra dizer
Que eu tô indo embora
Talvez eu volte
Um dia eu volto
Mas eu quero esquecê-la, eu preciso
Oh, minha grande
Ah, minha pequena
Oh, minha grande obsessão
Oh, minha honey baby
Baby, honey baby
Oh, minha honey baby
Honey baby, honey baby, ah
Ando tão à flor da pele
Que qualquer beijo de novela me faz chorar
Ando tão à flor da pele
Que teu olhar flor na janela me faz morrer
Ando tão à flor da pele
Que meu desejo se confunde com a vontade de não ser (baby)
Ando tão à flor da pele
Que a minha pele tem o fogo do juízo final (honey baby)
Um barco sem porto sem rumo sem vela cavalo sem sela
Um bicho solto um cão sem dono um menino um bandido
Às vezes me preservo noutras suicido
Baby, honey baby, baby, baby, baby, baby, baby
Oh, minha honey baby
Honey baby, honey baby
Baby, baby, baby, baby, baby
Ando tão à flor da pele
Que qualquer beijo de novela me faz chorar
Ando tão à flor da pele
Que teu olhar flor na janela me faz morrer
Ando tão à flor da pele
Que meu desejo se confunde com a vontade de não ser
Ando tão à flor da pele
Que a minha pele tem o fogo do juízo final
Baby, honey baby
Honey baby, baby, baby, baby, baby
Oh, minha honey baby
Honey baby, honey baby
Baby, baby, baby, baby
Ando tão à flor da pele
Que qualquer beijo de novela me faz chorar
Ando tão à flor da pele
Que teu olhar flor na janela me faz morrer
Ando tão à flor da pele
Que meu desejo se confunde com a vontade de não ser
Ando tão à flor da pele
Que a minha pele tem o fogo do juízo final
Baby

Waly Salomão / Jards Macal / Zeca Baleiro

sexta-feira, 11 de março de 2011

DIAS DE SOLIDÃO





Tem dias em que a gente se sente como quem partiu ou morreu. Quando o poeta da música popular escreveu esses versos, explicitava na canção o sentimento que muitas vezes se apodera de nossa alma.

São aqueles dias onde a alma se perde na própria solidão, encontrando o eco do vazio que ressoa intenso em sua intimidade.

São esses dias em que a alma parece querer fazer um recesso das coisas da vida, das preocupações, responsabilidades e compromissos, para simplesmente ficar vazia.

Não há quem não tenha esses dias de escuridão dentro de si. Fruto algumas vezes de experiências emocionais frustrantes, onde a amargura e o dissabor nos relacionamentos substituem as alegrias de bem-aventuranças anteriores.

Outras vezes são os problemas econômicos ou as circunstâncias sociais que nos provocam dissabores e colocam sombras na alma.

A incompreensão no seio familiar, a inveja no círculo de amizades, a competição e rivalidade desmedida entre companheiros de trabalho provocam distonias de grande porte em algumas pessoas.

Nada mais natural esses dissabores. Jesus, sabiamente, nos advertiu dizendo que no mundo só encontraríamos aflições.

Tendo em vista a condição moral de nosso planeta, as aflições e dificuldades são questões naturais e, ainda necessárias para a experiência evolutiva de cada um de nós.

Dessa forma, é ilusório imaginarmos que estaríamos isentos desses embates ou acreditarmo-nos inatacáveis pela perversidade, despeito ou inferioridade alheia.

Assim, nesses momentos faz-se necessário enfrentar a realidade, sem deixar-se levar pelo desânimo ou infelicidade.

Se são dias difíceis os que estejamos passando, que sejam retos nosso proceder e nossas ações. Permanecer fiel aos compromissos e aos valores nobres é nosso dever perante a vida.

Os embates que surjam não devem ser justificativas para o desânimo, a queixa e o abandono da correta conduta ou ainda, o atalho para dias de depressão e infelicidade.

Aquele que não consegue vencer a noite escura da alma, dificilmente conseguirá saudar a madrugada de luz que chega após a sombra, que parece momentaneamente vencedora.

Somente ao insistirmos, ao enfrentarmos, ao nos propormos a bem agir frente a esses momentos, teremos as recompensas conferidas àquele que se propõe enfrentar-se para crescer.

* * *

Se os dias que lhe surgem são desafiadores, lembre-se de que mesmo Jesus enfrentou a noite escura da alma, em alguns momentos, porém, sempre em perfeita identificação com Deus, a fim de espalhar a claridade sublime do Seu amor entre aqueles que não O entendiam.

Joanna de Ângelis


http://www.omensageiroespirita.com/search/label/Joanna%20de%20%C3%82ngelis

quinta-feira, 10 de março de 2011

COTIDIANO


Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã

Todo dia ela diz que é pra eu me cuidar
E essas coisas que diz toda mulher
Diz que está me esperando pro jantar
E me beija com a boca de café

Todo dia eu só penso em poder parar
Meio dia eu só penso em dizer não
Depois penso na vida pra levar
E me calo com a boca de feijão

Seis da tarde como era de se esperar
Ela pega e me espera no portão
Diz que está muito louca pra beijar
E me beija com a boca de paixão

Toda noite ela diz pra eu não me afastar
Meia-noite ela jura eterno amor
E me aperta pra eu quase sufocar
E me morde com a boca de pavor

Todo dia ela faz tudo sempre igual
Me sacode às seis horas da manhã
Me sorri um sorriso pontual
E me beija com a boca de hortelã

(Chico Buarque)

quarta-feira, 9 de março de 2011

COMO UMA ONDA


Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi
um dia
Tudo passa, tudo sempre
passará
A vida vem em ondas,
como um mar
Num indo e vindo
infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente viu há
um segundo
tudo muda o tempo todo no
mundo

Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo
agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre

Como uma onda no mar

Como uma onda no mar

Como uma onda no mar

(Lulu Santos- Nélson Mota)

terça-feira, 8 de março de 2011

QUARTA-FEIRA INGRATA II

QUARTA-FEIRA INGRATA



É de fazer chorar
Quando o dia amanhece
E obriga
O frevo acabar
Oh Quarta-Feira ingrata
Chega tão depressa
Só pra contrariar
Quém é de fato
Um bom pernambucano
Espera um ano
E se mete na brincadeira
Esquece tudo
Quando cai no frevo
E no melhor da festa
Chega a Quarta-Feira


(Luiz Bandeira)

domingo, 6 de março de 2011

O QUE DIRIA O ÁLCOOL SE FALASSE...


Sou claro como água ou vermelho como sangue, gosto de ser parecido com ambos, pois assim homens e mulheres me julgam bom...Eles me convidam á todas as cerimônias. Nos banquetes, nas festas de casamento e batizado, lá estou presente como se fosse o maior.

SE ELES SOUBESSEM QUEM SOU EU, FUGIRIAM DE MIM, SOU O MAIOR LADRÃO DA FELICIDADE, DA SAÚDE, DA PAZ E DA ECONOMIA.

Enquanto a água é cristalina e saudável e dá vida, saúde e alegria aos homens e mulheres, eu introduzo no sangue o verme da morte.

SOU O PORTADOR DA DOENÇA, DA POBREZA, DA LOUCURA E DO CRIME. SOU O MAIOR INIMIGO DE TODOS OS HOMENS E MULHERES.

O meu maior prazer é vê-los gemendo sob as cruciantes dores ou poder contemplá-los nas grades de um Hospital ou de uma Cadeia
.
SOU O CAUSADOR DE DESASTRES AUTOMOBILÍSTICOS, DOS DESQUITES, DOS DIVÓRCIOS, DOS ROUBOS DE AUTOMÓVEIS, DOS ASSALTOS À MÃO ARMADA.

Eu obrigo o filho a furtar dentro de casa, levando-o a dependência de outras drogas ou tóxicos.
Se você não sabia fique sabendo a partir de agora.

EU PENETRO NO INDIVÍDUO E FAÇO TODA A CORTE DE DESTRUIÇÃO.

Ataco o sistema nevoso, o pulmão, o estômago, os rins, o fígado, os intestinos, enveneno o sangue e vou matando o homem ou mulher aos poucos.

PARA QUE VOCÊS NÃO PERCEBAM QUE SOU O SEU ASSASSINO, EU PROCURO LHE DISTRAIR.

Os homens e mulheres ajuizados, tem medo de mim, afastam-se para longe, pois sabem que sou mais perigoso que a fome, a peste, a miséria e causo maiores males, matando mais gente do que a guerra. Você que é jovem, idoso, maduro ou de meia idade e quer entrar na minhas, é só entrar num bar, sentar numa mesa e me pedir.

MAS SAIBA QUE VOU DESTRUI-LO. HÁ SE VOU! VOU SIM...

Você se diz responsável, eu vou lhe deixar sem família e mais desempregado, vou lhe tornar irresponsável, vou lhe arrancar do seio da sociedade, vou lhe fazer pedir esmolas para beber, comendo os restos dos bares e sem abrigo, dormindo embaixo de marquises e viadutos.
Então chegou aonde eu queria, você chegou ao caos de sua vida, e se você quer continuar bebendo,

VOU LHE APODRECER VIVO E DEPOIS LHE MATO!

Eu tenho vários nomes. Chama-se: Vinhos, Cerveja, Whisky, Champagne, Pinga, Licor...

EU SOU O ÁLCOOL E VOU LHE MATAR!

(Autor Desconhecido)

REFLEXÃO DOMINICAL

AQUELE que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.
(Sl 91:1)

sábado, 5 de março de 2011

HINO DO GALO DA MADRUGADA


Ei pessoal, vem moçada
Carnaval começa no Galo da Madrugada (BIS)

A manhã já vem surgindo,
O sol clareia a cidade com seus raios de cristal
E o Galo da madrugada, já está na rua, saldando o Carnaval
Ei pessoal...

As donzelas estão dormindo
As cores recebendo o orvalho matinal
E o Galo da Madrugada
Já está na rua, saldando o Carnaval
Ei pessoal...

O Galo também é de briga, as esporas afiadas
E a crista é coral
E o Galo da Madrugada, já está na rua
Saldando o Carnaval
Ei pessoal...

Composição: José Mário Chaves Canta: Alceu Valença

sexta-feira, 4 de março de 2011

EMOÇÕES


Quando eu estou aqui

Eu vivo esse momento lindo
Olhando pra você
E as mesmas emoções
Sentindo...

São tantas já vividas
São momentos
Que eu não me esqueci
Detalhes de uma vida
Histórias que eu contei aqui...

Amigos eu ganhei
Saudades eu senti partindo
E às vezes eu deixei
Você me ver chorar sorrindo...

Sei tudo que o amor
É capaz de me dar
Eu sei já sofri
Mas não deixo de amar
Se chorei ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi...

São tantas já vividas
São momentos
Que eu não me esqueci
Detalhes de uma vida
Histórias que eu contei aqui...

Mas eu estou aqui
Vivendo esse momento lindo
De frente pra você
E as emoções se repetindo
Em paz com a vida
E o que ela me trás
Na fé que me faz
Otimista demais
Se chorei ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi...

Se chorei ou se sorri
O importante
É que emoções eu vivi...

(Erasmo Carlos / Roberto Carlos)