sexta-feira, 30 de abril de 2010

PRIMEIRA LIÇÃO

Na escola primária
Ivo viu a uva
e aprendeu a ler
Ao ficar rapaz
Ivo viu a Eva
e aprendeu a amar
E sendo homem feito
Ivo viu o mundo
seus comes e bebes
Um dia no muro
Ivo soletrou a lição
A lição da plebe
aprendeu a ver
Ivo viu a ave?
Ivo viu o ovo?
Na nova cartilha
Ivo viu a greve
Ivo viu o povo

IVO, Ledo. Poesia completa (1940-2004)

quarta-feira, 28 de abril de 2010

NO ALTO SANTA ROSA

Quando passava naquela rua ouvia o assobio do vento, as casas eram de madeira. Havia diversas madeireiras e todas as casas eram humildes, mas com pessoas felizes e trabalhadoras. A criançada corria e corria, ouvia-se gritos e muitas gargalhadas. À sombra, as mulheres conversavam, algumas costuravam colchas de retalhos, outras desfiavam malhas formando buchas para vender nos postos de gasolina.

A noitinha, sentia-se o cheiro gostoso do café torrado em casa, batido no pilão., que D. Maria acabara de passar e esquentara no fogão a lenha, lenha que fora catada no fundo do quintal. O café fora servido com pão quentinho, que Verinha comprara na venda de Seu Aristides. O pão veio embrulhado naquele papel madeira, que dá o gostinho peculiar ao alimento, à mesa também tinha bolacha canela. Que delícia!

Na casa não existia nem saneamento básico, as necessidades, eles faziam no matinho. Mas onde estaria os governantes que não viam aquela situação? Em Brasília era a certeza. Preocupados com mais um aniversário daquela cidade, que era a cara do Nordeste, famílias e mais famílias foram embora em busca de emprego na construção da Transamazônica.

Os pais de Geraldo e Verinha tinham vontade de partir, mas a idade não permitia. O velho Luís sentia dores lombares, pois trabalhava alugado em um roçado e D. Maria era a rezadeira do bairro, rezava olhado, ventre caído e outras. A Santinha ficava lá no oratório, sempre com muitas velas acesas para iluminar os caminhos daquela gente. Gente forte que a cada dia pedia mais e mais proteção ao Pai Celestial para que não faltasse o pão de cada dia.

Outros moradores venderam suas casas e foram para São Paulo, trabalhar e tentar uma vida melhor...com diriam alguns compatriotas: - Foram fazer fortuna!

Meu Deus, quantas vidas sofridas, que buscaram na fé, na vontade e na ousadia, dias melhores, nos grandes centros urbanos, deixando para trás a sua cidade natal, a cidade do grande Mestre Vitalino, que fez do barro riqueza para sua gente.

“ Valei-me, meu Padim Ciço e a Mãe de Deus das Candeias!”

(Luiza Pinto Moura. Memórias: Março, 2010)



(Publicado no Jornal do Commercio em 28/04/2010, Sessão Opinião)

"Felicidade está no filho de Deus que é Jesus"
(Alessadra Samadello)

terça-feira, 27 de abril de 2010

UM GRANDE PRESENTE DE DEUS



Parabéns, meu querido
Que Jesus seja uma constante presença na sua vida
Você é mais que Ben 10. Você é 1000.Beijos
Vovó Luiza

sábado, 24 de abril de 2010

O ADOLESCENTE


A vida é tão bela que chega a dar medo.
Não o medo que paralisa e gela,
estátua súbita, mas esse
medo fascinante e fremente de curiosidade que
faz o jovem felino seguir para a frente farejando
o vento ao sair, a primeira vez, da gruta.

Medo que ofusca: luz!
Cumplicemente,
as folhas contam-te um segredo
velho como o mundo:

Adolescente, olha! A vida é nova...
A vida é nova e anda nua
vestida apenas com o teu desejo!
(Mário Quintana)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

DIA DO ESCOTEIRO








SEMPTRE ALERTA!

BRAVA GENTE BRASILEIRA











I. O Escoteiro tem uma só palavra; sua honra vale mais do que a própria vida.
II. O Escoteiro é leal.
III. O Escoteiro está sempre alerta para ajudar o próximo e pratica diariamente uma boa ação.
IV. O Escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais Escoteiros.
V. O Escoteiro é cortês.
VI. O Escoteiro é bom para o animais e as plantas.
VII. O Escoteiro é obediente e disciplinado.
VIII. O Escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades
IX. O Escoteiro é econômico e respeita o bem alheio.
X. O Escoteiro é limpo de corpo e alma.


SEMPRE ALERTA!

UMA VEZ ESCOTEIRO SEMPRE ESCOTEIRO





quinta-feira, 22 de abril de 2010

23 DE ABRIL - DIA DO ESCOTEIRO




MEU SONHO COMEÇOU AQUI


O que mais eu gostava de fazer era ler Tio Patinhas, os Almanaques, nem me falem. Quantas saudades! As historinhas me fascinavam sonhava de olhos abertos.

Quando recebi o meu primeiro almanaque que retratava a História do Escotismo. Queria de todas as formas ser aqueles escoteiros representados por Huguinho, Zezinho e Luizinho, também desejava pertencer a Patrulha do Grande Chefe. Depois surgiu a Patrulha das meninas sobrinhas de Margarida: Zazá, Zezé e Zizi, essas garotas eram levadas da breca. Isso era demais!

Esse foi um sonho que depois de muitos anos pude ver realizado através dos meus filhos, nos ramos Lobinho, Escoteiro e Guia, depois exercendo o posto de Chefe de Tropa Escoteira. Isso tudo no 15º G.E Fernando Monteiro.

Muitas vezes acreditamos que os sonhos não podem tornar-se realidade, mas para Deus não existe impossível.

A Todos os jovens escoteiros e Chefes, parabéns e que cada dia possa ser Melhor Possível

SEMPRE ALERTA!

Ch. Luiza

HOMENAGEM A BRASÍLIA

BRASÍLIA

Em tempo de guerra,

Em tempo de paz

Um ponto no Distrito Federal

A luz em esplendor

Nascia uma linda cidade

Que acolhia a todos

Deram-lhe um nome Brasília

Ah, pequena, mas tão linda

Hoje fazendo cinqüenta anos.

Com festas e comemorações

Esqueçamos os deslizes,

Esqueçamos os corruptos

E saudemos teu nome, Brasília

Qual é o teu nome?

“Me Chamo Brasília,

Se teu amor foi hipocrisia...

Adeus, Brasília vou pra outra cidade.”

(Luiza Pinto Moura, abril 2010)

segunda-feira, 19 de abril de 2010

TE AMO BRASÍLIA


Eu estava tão lobo
Nos bares da vida
Sangrava a ferida
Do meu coração
E uma doida dona
Charmosa e tão linda
Com tudo de cima
Me botou no chão

Qual é o seu nome?
Me chamo Brasília
Sabia que um dia
Ia te encontrar

Ela só queria,
Eu quase acredito,
Quebrar o meu mito
E me abandonar

Se teu amor foi hipocrisia
Adeus, Brasília,
Vou morrer de saudade
Se teu amor foi hipocrisia
Adeus, Brasília,
Vou pra outra cidade

Agora conheço
Sua geografia
A pele macia
Cidade morena
Teu sexo, teu lago
Tua simetria
Até qualquer dia
Te amo, Brasília

(Alceu Valença)

TODO DIA ERA DIA DE ÍNDIO


"Sou filho das selvas,
Nas selvas cresci;
Guerreiros, descendo
da tribo tupi
(...)

Andei longes terras
Lidei cruas guerras,
Vaguei pelas serras
dos vis Aimorés
Vi lutas de bravos,

Vi fortes - escravos!
De estranhos ignavos
Calcados aos pés."

(Gonçalves Dias. I- Juca Pirama)

domingo, 18 de abril de 2010

LUZ QUE ME ILUMINA E ME AJUDA A SEGUIR...

"Essa Luz, é claro que é Jesus[...]

Lady Laura, me leve pra casa
Lady Laura, me conta uma história
Lady Laura, me faça dormir
Lady Laura
(Roberto Carlos)

ANIVERSÁRIO DO REI ROBERTO CARLOS



Em meio de diversas festividadades antecipadas, espalhados pelo Brasil, milhões de fãs comemoraram o aniversário do cantor e compositor Roberto Carlos, Belo Jardim não foi diferente, na organização de Neves di Monserrati e o Fã- Clube Luz Divina aconteceu uma festa em grande estilo, no antigo Cazarão do Chopp, que fica na Cohab I.

Os cantores da Terra do Bitury, (Belo Jardim-PE) : Nides Moura, Everaldo Rossi, Geraldo Siqueira, Banda ED ROCK, Thalyta e a anfitriã Neves de Monserrati cantaram diversas músicas do Rei Roberto Carlos, com grande carinho e manifestação de alegria pela passagem de mais um ano de vida do tão popular cantor. Os fãs também cantaram acompanhando os músicos. E não podia deixar de acontecer o mais difícil adeus a matriarca o refrão : Lady Laura....Lady Laura....

Mas foi com grande tristeza que receberam a notícia do falecimento da mãe do Rei,(Laura Moreira Braga) Dona Lady Laura, choraram e se abraçaram em sinal de pesar pela dor do ídolo.

O cantor até as 23 h de ontem encontrava-se em Nova Iorque onde iria apresentar um show , ainda comemorando os 50 anos de carreira. Esta é a lei da vida, uns nascem e outros vão para Além do Horizonte. Felizes os que creem em um amor infinito.

Parabéns, Roberto Carlos!
Deus cubra-lhe de bênçãos para suportar essa separação, apenas física, pois As Mães não morrem jamais.

(Luiza Pinto Moura)

sábado, 17 de abril de 2010

CIVILIDADE

Um grupo de porcos-espinhos estava enfrentando um duro inverno.Para se aquecerem, tentaram ficar bem juntinhos, mas se picavam mutuamente.

Tentaram então ficar afastados, mas ai não se aqueciam e sentiam muito frio. A solução foi encontrar uma distancia em que pudessem se aquecer sem se machucarem.

A esta distancia damos o nome de civilidade.

(autor desconhecido)

Bom final de semana,
Muita Paz!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

SONHOS



Meus sonhos, neste momento

Não consigo decifrá-los,

Mas são tão nítidos,

Tão perto, e tão distante


Vejo você ao meu lado

E muitas vezes

Penso ser realidade

Tão perto, e tão distante


Sonhos que vem sonhos que vão...

Sua presença sempre rondando

Tão perto, e tão distante


Muitas vezes penso ser realidade

Sonhos que mostram você ao meu lado

Sempre Juntinhos num belo jardim

Tão perto, e tão distante...

(Luiza Pinto Moura, janeiro 2010)